Caminhoneiro Zé Trovão é encontrado pela Polícia Federal no México

A Polícia Federal (PF) encontrou o caminhoneiro bolsonarista Zé Trovão no México, nesta quinta (9). Segundo informações do Metrópoles, a PF teve ajuda do Itamaraty para localizá-lo.

Zé Trovão estava foragido há seis dias, quando teve a prisão decretada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes por causa de um inquérito que investigava ameaças à democracia nos atos de 7 de setembro. Mesmo foragido, o caminhoneiro continuava a incentivar movimentos pró-Bolsonaro (sem partido).

Já em vídeo gravado nesta quinta-feira – o segundo -, Trovão confirmou que estava no México e disse que poderia ser preso a qualquer momento.

“Viralizem esse vídeo, todos os motoqueiros do Brasil. Eu preciso do apoio de vocês. Precisamos todos ir a Brasília. Em alguns momentos devo ser preso. Para quem não sabe, estou no México e a embaixada brasileira entrou no hotel que estou e a polícia deve chegar em alguns momentos. Eu não cometi nenhum crime. (…) Preso politicamente por um crime de opinião. (…) Nos ajude, pelo amor de Deus.”

Zé Trovão pediu vídeo de Bolsonaro para que caminhoneiros liberassem rodovias

Zé Trovão também pediu, em vídeo, que o presidente Bolsonaro gravasse um vídeo nesta quinta para que os caminhoneiros liberassem as rodovias ocupadas desde quarta (8), em 14 Estados.

“Presidente, se o senhor quer que liberemos as pistas, queremos que o senhor fale para o povo brasileiro isso. Que o senhor faça um vídeo com dia e data e peça para nós. Aí, sim, faremos vídeos para liberar as pistas. Sem isso não vou fazer. Não dá mais confiar em vídeo em áudio, pois pode ser coisa antiga”, afirma.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, no entanto, confirmou a procedência do áudio e solicitou que os caminhoneiros desocupem as pistas, pois a paralisação pode impactar a economia e trazer desabastecimento.

Ainda no vídeo, a liderança disse que era perseguido politicamente pela Justiça. “Minha vida está destruída. Estou sendo perseguido politicamente, com mandado de prisão por passar por isso e posso nunca mais ver a minha família. Eu não vou para uma cadeia porque não sou bandido”, continua.